DOAÇÕES PARA CRIANÇA COM NEOPLASIA

Ir em baixo

DOAÇÕES PARA CRIANÇA COM NEOPLASIA

Mensagem  Admin em Ter Jun 29, 2010 3:46 pm

ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE APOIO À CRIANÇA COM NEOPLASIA (APACN):

(www.apacn.org.br)
Doações:
Nas seguintes contas correntes:
- Caixa Econômica Federal: Agência: 3915 C/C: 700.700-8
- Itaú: Agência: 3722 C/C: 11193-1
- HSBC: Agência: 0358 C/C: 13.932-90
- Banco do Brasil: Agência: 2920-3 C/C: 22.900-8
NEOPLASIA:
Câncer não é brincadeira mas também é coisa de criança!
Cerca de 30 crianças de todo o Brasil passam pela Casa de Apoio da APACN diariamente. Mas muitos destes casos poderiam ser evitados e tratamentos amenizados caso o diagnóstico do câncer fosse feito precocemente.

A pediatra oncologista, Dra. Mara Pianovski, alerta que quanto mais tempo se perde para iniciar o tratamento, mais o organismo é agredido e fragilizado pela doença e se torna mais vulnerável às complicações habituais. “Além disso, neoplasias com muito tempo de evolução apresentam complicações que podem se tornar irreversíveis. Quando o diagnóstico é feito em tempo, mais de 70% das crianças com câncer são curadas”, comenta a médica, que coordena o Ambulatório que a APACN mantém em convênio com o Hospital de Clínicas do Paraná.

Existem diferenças importantes entre o câncer da criança e o do adulto. Em muitas situações, o câncer do adulto pode ser prevenido. Por exemplo, evitando-se a exposição ao sol no horário de risco, evita-se o câncer de pele. Não fumando, pode-se afastar o risco de desenvolver câncer de pulmão, de bexiga e outros. Já para a criança, não existe uma forma de evitar o câncer, mas apenas de se fazer o diagnóstico precoce.

Dra. Mara explica que o tratamento quimioterápico das crianças é mais intensivo que o utilizado para os adultos; assim, pode apresentar irregularidades com mais facilidade, como infecções e sangramentos. Por outro lado, elas se recuperam mais facilmente, desde que o tratamento inicie em tempo hábil. O tratamento dura em média de 6 meses a 2 anos, dependendo do diagnóstico (qual tipo de câncer) e do estadiamento (ou seja, doença inicial ou avançada).
Alguns números:
- A taxa de incidência do câncer infantil tem crescimento em torno de 1% ao ano nas diversas regiões do mundo e a incidência anual é de 12 em cada 100.000 crianças.

-No Brasil, o câncer já é a terceira causa de morte por doença entre 1 e 14 anos de idade.

- O câncer infantil compreende de 0,5% a 3% de todas as neoplasias na população.
fonte: INCA (Instituto Nacional do Câncer)
Neoplasia infantil
As neoplasias mais freqüentes nas crianças são as leucemias (glóbulos brancos), os tumores de sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático). A idade que elas aparecem com maior freqüência está em torno de 2 a 4 anos. O câncer na criança se apresenta, em geral, com sinais e sintomas comuns a outras doenças da infância. Dra. Mara dá alguns exemplos:

- palidez que ocorre nas leucemias é muito comum nas anemias por deficiência nutricional; aumento de volume das ínguas, que também ocorre como resposta normal do organismo a infecções; dores ósseas de intensidade crescente, diferenciando-se de dores freqüentes associadas com o crescimento, que desaparecem rapidamente; dor de ouvido, que não melhora com os tratamentos habituais; dor no abdome, tosse persistente, manchas roxas pelo corpo e sangramento nasal.

Para saber se o sinal ou sintoma está associado ao câncer, é fundamental que a criança seja examinada pelo médico, que saberá que exames solicitar. Os pais e médicos ainda devem ficar alerta para outras alterações na saúde:

- No retinoblastoma, um sinal importante de manifestação é o chamado "reflexo do olho do gato", embranquecimento da pupila quando exposta à luz.

- Tumores sólidos podem se manifestar pela formação de massa, podendo ser visível e causar dor nos membros, sintoma, por exemplo, freqüente no osteossarcoma (tumor em osso em crescimento), mais comum em adolescentes.

- Tumor de sistema nervoso central tem como sintomas dor de cabeça, vômitos, alterações motoras, alterações cognitivas e paralisia de nervos.
Cuidados Especiais
O tratamento do câncer não é somente quimioterapia, radioterapia ou cirurgia. Na Associação, elas contam com uma equipe de voluntários e profissionais de diversos setores para dar a elas e aos acompanhantes todo o apoio necessário para amenizar o sofrimento deste período. O apoio psicológico visa auxiliar a criança neste momento de mudanças, perdas e que também pode acarretar em dor e sofrimento.

A psicóloga Adriana Sampaio, que atende as famílas na Casa de Apoio, explica que o psicólogo ajuda a criança na adesão ao tratamento da doença ou ampliação de seu repertório comportamental, prestando suporte para a adaptação à nova rotina de idas ao hospital. “E este acompanhamento é especialmente necessário quando há mudança de cidade para tratamento, hospitalização por tempo prolongado, com afastamento da família, amigos e escola”, detalha Adriana.

Já o serviço social presta atendimento às famílias que se hospedam na APACN. A Assistente Social da Casa de Apoio, Rayde Bisinelli explica que além dos contatos com prefeituras e secretarias de saúde, o serviço social organiza grupos de socialização e orientação de pais ou acompanhantes, apoio aos voluntários que atuam com as famílias. “Percebemos que ao chegar em Curitiba o paciente e os familiares enfrentam algumas dificuldades e passam por períodos de angústia. Buscamos sempre viabilizar os recursos que eles têm direito, acompanhar estas famílias que buscam a cura dos filhos”, comenta Rayde.

avatar
Admin
Admin

Mensagens : 260
Data de inscrição : 14/05/2010

Ver perfil do usuário http://acreditevaleapena.forumr.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum